A Neurocirurgia como Especialidade Médica


Neurocirurgião - Dr. Pedro Deja - em campo.

A Neurocirurgia, como especialidade médica, surgiu no início do século XIX. Nas duas primeiras décadas do século XX, entretanto, os casos de traumas neurológicos e abcessos cerebrais eram operados por cirurgiões gerais. Os médicos pioneiros em neurocirurgia no Brasil foram José Ribeiro Portugal e Elyseu Paglioli, os primeiros a criar escolas neurocirúrgicas no país, em 1928 e 1931, respectivamente.


A Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN) foi fundada em 1957. Porém, somente 20 anos depois, seria criada a residência médica no país, em 1977, como uma forma de pós-graduação para médicos aravés de especialização em serviços de saúde. Hoje, a SBN é uma das cinco sociedades neurocirúrgicas de maior prestígio mundial.


A neurocirurgia é a especialidade médica responsável pelo diagnóstico e tratamento de indivíduos que apresentem lesões ou patologias do cérebro, da coluna vertebral, da medula espinhal e dos nervos periféricos. Esta área é definida como especialidade cirúrgica, responsável por doenças ou desordens do Sistema Nervoso Central (SNC), periférico e inclui, não somente a intervenção cirúrgica como tratamento, mas a prevenção, o diagnóstico, a avaliação do paciente, seu tratamento e a reabilitação. Dentre os inúmeros problemas que um médico especializado em neurocirurgia pode tratar estão:

  • traumatismos cranianos;

  • doenças vasculares cerebrais, como os aneurismas e a obstrução arterial;

  • doenças vasculares da região cervical, que podem resultar em uma isquemia cerebral;

  • dor crônica na coluna;

  • tumores cerebrais da coluna e da medula;

  • epilepsia;

  • hérnias de disco;

  • hidrocefalia;

  • doença de Parkinson;

  • derrames cerebrais;

  • Síndrome do Túnel do Carpo, entre outras.


O médico neurocirurgião geralmente divide seu tempo entre as atividades de consultório e as cirúrgicas. A rotina, no entanto, depende muito da área de atuação: serviço público ou privado. Muitos serviços privados optam por Neurocirurgiões de sobreaviso, por exemplo. Ou seja, caso tenha algum paciente neurocirúrgico, o médico é chamado. Nas atividades de consultório são avaliados os pacientes que foram encaminhados ou que acreditam precisar de consulta com Neurocirurgião.


Em unidades de Emergência públicas, o especialista realizará procedimentos cirúrgicos e avaliará pacientes que estão em observação. Os procedimentos mais comuns são os relacionados ao traumatismo craniano, como:

  • drenagem de hematomas;

  • derivação ventricular externa;

  • tratamento cirúrgico de afundamento de crânio;

  • implante de cateter para monitorização da pressão intracraniana.

No dia a dia da profissão, o neurocirurgião enfrentará dúvidas e descobertas, mesmo após anos de trabalho.




BackgroundEraser_image.png